Atenção para esse cara: ele mudou a história do basquete

Collins em foto de divulgação da última temporada (Crédito: AP Photo/Michael Dwyer)

Collins em foto de divulgação da última temporada (Crédito: AP Photo/Michael Dwyer)

“Tenho 34 anos e sou um pivô da NBA. Sou negro. E sou gay”. Foi assim que começou um artigo da revista Sports Illustrated. Talvez esse trecho se torne um marco dos esportes na América do Norte. Pela primeira vez, um atleta das grandes ligas americanas admitiu que é homossexual.

Jason Collins é um agente livre e passou a última temporada com Boston Celtics e Washington Wizards. Depois de 12 anos na NBA, existe até uma teoria chamada “Three Degrees of Jason Collins”, que diz que se você não foi companheiro de Collins ou jogou com alguém que já foi, você atua com alguém que já jogou com alguém que foi parceiro de time de Collins.

Collins diz que pensou em fazer a revelação durante o locaute da NBA em 2011. Como ele é um atleta de rotina e a falta de um contrato quebrou isso, ele teve tempo para confrontar quem ele era e o que ele realmente queria. “Senti falta da distração que o basquete sempre colocou na vida”, disse Collins.

Capa da Revista Sports Illustrated que tem Collins como capa (Crédito: SI)

Capa da Revista Sports Illustrated que tem Collins como capa (Crédito: SI)

O jogador da NBA admite que viu que realmente deveria vir ao público quando ouviu o congressista de Massachusetts Joe Kennedy contar que marchou na Parada Gay de Boston em 2012. Kennedy era companheiro de quarto de Collins na Universidade de Stanford e “fez inveja” ao amigo ao dizer isso. Talvez era apenas o empurrão que o atleta precisava, ainda mais vindo de um amigo heterossexual.

Collins tem um irmão gêmeo que já atuou por algumas equipes na NBA. Quando ouviu a notícia pela primeira vez, Jarron ficou realmente espantado e disse que nunca desconfiou. Mas depois de pouco tempo, passou a ser bem receptivo e tentou “proteger” Jason.

O pivô ainda diz que quer continuar na liga e espera ter uma recepção boa de outros atletas, mas que já está se preparando para o pior. “Espero que eles pensem em histórias boas como a de quando Mike Miller me vendeu um cachorro”, disse Collins. “Talvez eles conversem sobre o meu caráter e o tipo de pessoa que sou”.

E depois do anúncio, Collins recebeu apoio de vários atuais jogadores da liga:

 

 

 

 

“O basquete professional é uma família. E quase toda família que eu conheço tem alguém homossexual. Aconteceu que na família da NBA, eu é que admiti”. Essas são as palavras de Collins que estão na capa da revista.

Realmente espero que os atletas e a família da NBA estejam prontas para acolher Collins, que é um jogador que sempre liderou por exemplo.

Add Comment