Atlético sofre gol no fim, perde por 2 a 0 para Olimpia e depende de nova virada para conseguir título inédito da Libertadores

Por Yan Pedro

O Atlético perdeu por 2 a 0 para o Olimpia na primeira partida da final da Libertadores na noite desta quarta-feira (17), no estádio Defensores del Chaco, em Assunção, no Paraguai. Os motivos do revés foram os mesmos de duas semanas atrás, quando perdeu também por 2 a 0 fora de casa para o Newell’s Old Boys, na partida de ida da semifinal: erros da defesa, imprecisão nas finalizações e gol sofrido no fim.

JOGO DE VOLTA NO MINEIRÃO

Na próxima quarta-feira (24), às 21h50, o Atlético terá que bater o Olimpia por três gols de diferença (não há critério de gol fora de casa) para levantar pela primeira vez a taça da Libertadores.  Se a vitória for de dois gols, o campeão será conhecido nos pênaltis.

PRIMEIRO TEMPO

Logo aos seis minutos, Marcos Rocha lançou para Diego Tardelli, que dominou e chutou no canto direito do goleiro Martín Silva. Entretanto, a jogada foi anulada pelo assistente, que marcou impedimento. Lance difícil, pois o atacante do Galo parecia estar na mesma linha. Aos 20 minutos, a mesma jogada: Marcos Rocha lançou para Diego Tardelli, que, em velocidade, invadiu a área e chutou forte na rede pelo lado de fora. 

Alejandro Silva abriu o placar aos 22 minutos do 1º tempo

O Galo dominava as ações da partida, mas aos 22 minutos, fez fila na intermediária e chutou cruzado no canto esquerdo de Victor. A bola ainda baeu na trave antes de entrar. Falha da defesa atleticana, que apenas observou a jogada do lateral uruguaio. 

Aos 36 minutos, quase o Olímpia ampliou o placar. Salgueiro chutou da entrada da área. A bola desviou no zagueiro Réver e saiu à esquerda. Cinco minutos mais tarde, o atacante Salgueiro novamente levou perigo à meta do Galo. Livre na área, Salgueiro demorou para finalizar e Pierre, na hora certa, travou o lance. Mais um erro da defesa mineira.

SEGUNDO TEMPO

A primeira chance de perigo do Galo aconteceu aos quatro minutos. Luan tocou para Diego Tardelli, que ao dominar a bola driblou o marcador e invadiu a grande área. Ele chutou cruzado, muito perto da trave direita. Dois minutos depois, Tardelli, novamente assustou o Olímpia. Agora pela esquerda, o atacante atleticano chutou para a defesa do goleiro Martín Silva. 

Após o bom início de segunda etapa, o Galo diminuiu o ritmo e permitiu ao Olimpia trocar mais passes e controlar as ações do jogo. Cuca, na tentativa de mudar esse panorama, fez duas alterações. Trocou Luan por Rosinei, para dar mais poder defensivo; e Guilherme no lugar de Ronaldinho Gaúcho, que não conseguiu sair da forte marcação do Rei de Copas, como é chamado no Paraguai.

Diego Tardelli foi o principal jogador do Galo na partida

As substituições começaram a surtir aos 32 minutos. Guilherme lançou para Jô, que dominou com categoria e chutou forte. Com os pés, o goleiro Martín Silva salvou o time paraguaio. A resposta veio aos 38 minutos em um lance inacreditável. Novamente pelo setor esquerdo de defesa do Atlético, onde atua Richarlyson, o Olimpia quase ampliou. Ferreyra girou dentro da área e chutou; Leonardo Silva salvou quase em cima da linha. No rebote, Bareiro pegou mal na bola e mandou para fora. Incrível a oportunidade desperdiçada. 

Richarlyson matou o contra-ataque, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. No último lance da partida, aos 49 minutos, o Olimpia fez o segundo gol. Rosinei fez falta em Prono, e Pittoni, em cobrança colocada, fez o Defensores del Chaco tremer. Detalhe do lance foi Alecsandro, em cima da linha, atrapalhou o goleiro Victor, que não pode saltar para realizar a defesa.

Cerca de 1.600 atleticanos assistiram à partida no Paraguai / Douglas Magno - O TEMPO

Olimpia (2): Martín Silva; Manzur, Miranda, Candía, Alejandro Silva, Mazzacote; Aranda, Pittoni, Benítez; Salgueiro e Bareiro (Prono).

Atlético (0): Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Richarlyson; Pierre, Josué, Luan (Rosinei), Ronaldinho Gaúcho (Guilherme) e Diego Tardelli; Jô. 

Arbitragem: Néstor Fábian Pitana (ARG), Hernan Maidana (ARG) e Juan Belatti (ARG)

Add Comment