Brasil dá show, vence Espanha e conquista a pela 4ª vez a Copa das Confederações

Fred marcou logo no primeiro minuto

Por Yan Pedro

Tudo perfeito. Não houve um  “mas” na vitória por 3 a 0 da Seleção Brasileira contra a Espanha na noite deste domingo (30). O atual campão mundial e europeu não viu a cor da bola, foi pressionada e, em certos momentos, humilhadas pelo brasileiros.

O técnico da Seleção da Espanha, Vicent del Bosque, em entrevista durante a semana disse que temia o início avassalador do Brasil. Com razão. Logo no primeiro minuto, Hulk recebeu de Oscar na direita, cruzou na medida para Fred, no bate-rebate, o atacante do Fluminense, caído no gramado, abriu o placar. O Maracanã, que já estava fervendo, explodiu em alegria.

O Brasil surpreendia variando a marcação no campo espanhol e atrás, no campo de defesa. La Roja parecia atordoada, errando diversos passes. Aos 16 minutos, o time comandado por Felipão tinha 56% de posse de bola. A Espanha, ao decorrer do tempo, aumentava o volume de jogo, mas sem levar perigo ao gol de Julio Cesar. Aos 32 minutos, Neymar deu belo passe a Fred, que, sem marcação, desperdiçou a oportunidade de ampliar o placar.

David Luiz

Aos 40 minutos, David Luiz fez o Maracanã vibrar. Pedro pegou a bola livre, chutou firme, quando a pelota ia ultrapassando a linha, David Luiz esticou a perna e salvou o Brasil do gol de empate. Quando tudo parecia indicar o fim da primeira etapa, Neymar mostrou toda a sua genialidade. Oscar puxou o contra-ataque, tocou para o novo craque do Barcelona, que devolveu. Neymar saiu da condição de impedimento, recebeu belo passe de Oscar, e acertou um petardo com a perna esquerda. Golaço!

Piqué expulso

No segundo tempo, novamente, só deu Brasil. Mesmo com a posse de bola elevada, os espanhóis não conseguiam criar jogadas de perigo. Fred, de novo ele, marcou para a Seleção. Hulk tocou na direção de Neymar, que deixou a bola passar, Fred dominou e chutou com categoria no canto esquerdo de Casillas. O Maracanã vivia um sonho. 

Aos nove minutos, pênalti contestável a favor da Espanha. Na cobrança, Sergio Ramos chuto para fora. O estádio vibrava ao som de “Domingo vou ao Maracanã”, música de Neguinho da Beija-Flor. Aos 22 minutos, Piqué deu um carrinho violento em Neymar e foi expulso. A partir daí os torcedores já gritavam “É campeão”.

As premiações, naturalmente, tiveram supremacia tupiniquim. Paulinho foi eleito o 3º melhor jogador do torneio, seguido por Iniesta. O grande craque, obviamente, foi Neymar, que também ficou com o 3º lugar da artilharia da Copa, com quatro gols. O atacante Fred, com cinco gols, só não venceu o prêmio de artilheiro porque Fernando Torres, com também cinco tentos, jogou menos minutos durante a competição.

Add Comment