‘Estou muito abalado’, diz advogado suspeito de matar a mulher em SP

O advogado Sérgio Brasil Gadelha, de 74 anos, suspeito de matar a mulher dele, a artista plástica Hiromi Sato, de 57 anos, foi transferido na tarde desta segunda-feira (22) para o 31º Distrito Policial, na Vila Carrão. “Estou muito abalado”, disse aos jornalistas ao deixar o 78º Distrito Policial, nos Jardins, por volta das 15h.

Ele ficará detido na delegacia porque possui diploma universitário, enquanto aguarda a transferência para um Centro de Detenção Provisória (CDP). A artista plástica foi morta no apartamento em que ela e o marido moravam, em Higienópolis, bairro nobre no Centro de São Paulo, neste sábado (20). Segundo a polícia, ele confessou que bateu e estrangulou a mulher por ciúmes, mas disse que não tinha a intenção de matá-la.

Hiromi tinha hematomas no rosto, boca, abdômen e em uma das pernas, de acordo com a polícia. Além disso, na casa foram encontradas manchas, possivelmente de sangue, na cama, em lençóis, travesseiros e em panos deixados no chão do banheiro.

 O corpo de Hiromi só foi descoberto no domingo (21), depois que o advogado ligou para uma das filhas. Ela acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a Polícia Militar.

O suspeito disse ao delegado que o casal brigava muito por ciúmes. Eles estavam juntos havia três anos.

O advogado deve responder por homicídio qualificado consumado, que pode levá-lo a cumprir uma pena de 12 a 30 anos de prisão. Nesta manhã, o corpo da artista plástica ainda estava no Instituto Médico-Legal central. Não havia previsão de liberação.

Add Comment