Fiéis tem problemas novamente com transportes públicos na volta pra casa

Philippe Azevedo

Milhares de turistas nacionais e internacionais viveram mais um dia de caos no transporte público na saída da cerimônia em Copacabana da Jornada Mundial da Juventude.

Após a saída do papa, organizadores do evento pediram que esperassem alguns minutos para deixarem o local. O aviso foi dado em vários idiomas. A tentativa, no entanto, não deu muito certo.

Segundo a pesquisa do Datafolha, cerca de 865 mil passaram  pela cerimônia até às 22h. O momento do pico aconteceu às 18h, quando o número chegou a 765.542 mil.

A saída dos fiéis e peregrinos teve princípio de confusão e tumulto. Filas de mais de um quilômetro de extensão para entrar nas estações de metrô marcavam a saída das pessoas. Por volta das 20h30, as filas das duas estações, distantes 1,2 quilômetro uma da outra, se confundiram.

A alternativa era os ônibus, mas os transportes estavam superlotados, não podendo atender todos os peregrinos. O trânsito deu um nó. As oito pistas do túnel que liga Copacabana a Botafogo foram totalmente ocupadas por pessoas que caminhavam em busca de uma maneira de voltar para casa.

Mais cedo a situação perto do palco também estava tensa. Vários desmaios foram registrados após a chegada do palco. A emoção dos jovens fiéis era grande Os que chegaram mais cedo e conseguiram ficar próximo às grades que separavam o povo do papamóvel foram pressionados pela massa.

A plateia tinha muitos idosos, que sofreram mais com a superlotação, mas, mesmo entre os mais jovens, a longa espera em pé, imóvel, sob chuva, no meio da multidão, mostrou-se difícil de suportar. Resgatar os desmaiados do meio da multidão exigia grande esforço dos voluntários, já que a aglomeração dificultava o deslocamento.

Nas cercanias do palco havia grande desorganização, o que prejudicou cadeirantes e padres que tentavam chegar até suas áreas correspondentes em frente ao palco.

No fim da noite, manifestantes que tinham se concentrado em frente à casa do governador Sérgio Cabral, no Leblon, foram para Copacabana. Ao chegar na orla, o grupo, de 300 pessoas segundo a PM, decidiu fazer o mesmo trajeto feito horas antes por Francisco.

Add Comment