Justiça Federal envia ao STF inquérito de formação de cartel de trens em SP

Philippe Azevedo

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve receber da Justiça Federal um inquérito sobre a formação de cartel de trens paulistas. De acordo com um grande jornal de São Paulo, as investigações mostram que o governo paulista tinha conhecimento e avalizou a formação de um cartel na linha 5 do Metrô de São Paulo. Os casos aconteceram nas gestões de Mário Covas, Geraldo Alckmin e José Serra, todos do PSDB, entre os anos de 1998 e 2008.

A Justiça Federal informou através de nota que o inquérito corre em segredo de Justiça. Ainda afirmou que o inquérito policial foi enviado ao Supremo pois são mencionadas infrações cometidas por autoridades que têm foro privilegiado.

A investigação, conforme a denúncia da Siemens, aponta que as empresas Alstom (França), Bombardier (Canadá), Mitsui (Japão) e CAF (Espanha) participaram do cartel no país.

A Polícia Federal de São Paulo pediu na semana passada o envio do inquérito ao Tribunal. No entanto, a procuradora Karen Louise Kahn, do Ministério Público Federal, foi contra o envio, porque, segundo ela, não havia indícios ou provas suficientes contra os políticos com foro privilegiado citados nas denúncias.

O delegado da PF-SP Milton Fornazari Junior foi quem pediu o envio do inquérito e conduziu as investigações em São Paulo. O delegado decidiu tomar esta medida após o depoimento do ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer.

O ex-diretor da Siemens afirmou em depoimento que tucanos teriam recebido propinas do consultor Arthur Teixeira. Ele também revelou que o principal secretário de Geraldo Alckmin, Edson Aparecido, e o deputado Arnaldo Jardim, teriam também sido privilegiados com dinheiro de Teixeira.

Add Comment