Manhã de protestos em MG e de madrugada tensa em outros estados

Manifestantes se concentram na Praça Sete, em BH, para ato desta quarta-feira (26). (Foto: Alexandre Rezende/G1)

Em Belo Horizonte, as manifestações continuam e fecharam, na manhã desta quarta-feira (26) três rodovias principais na região metropolitana. As interdições ocorrem na BR-381, BR262 e na MG-020 e os protestos, por enquanto, seguem pacíficos.

A Polícia Federal Rodoviário (PFR) informa que cerca de 60 manifestantes interditam a pista BR-381 na altura do KM 41, no bairro Borga Gato, em Sababá. Na mesma rodovia, há registro de fechamento também de duas pistas no trevo de Ravena, que é um distrito de Sabará, no km 442.

Já na BR-262, em forma de protesto, os manifestantes estão cobrando cerca de R$ 20 reais para que os motoristas sigam viagem. O protesto acontece na altura de Juatuba, km 369, sentido Belo Horizonte.

A retenção na MG-020 ocorre na divisa entre as cidades de Santa Luzia e Jaboticatubas, perto de Pinhões. Segundo o Batalhão de Polícia Rodoviárias, os dois sentidos foram bloqueados.

Ontem (25) durante uma manifestação em Belo Horizonte, a comandante Cláudia Romualdo foi escoltada por um grupo de manifestantes para não ser atacada por um grupo de vândalos. Um policial do exército ajudou com a escolta. Na noite de ontem, reuniram cerca de 20 mil pessoas.

Há uma grande tensão para o jogo entre o Brasil e Uruguai que acontece no Mineirão em Belo Horizonte. Os jogadores, assim como pede a Fifa, quer o máximo de segurança possível. No último jogo, cerca de 18 pessoas se feriram durante um protesto em frente ao estádio. Cogita-se que a semifinal pela Copa das Confederações entre os dois times pode ser adiada. Porém, PM anunciou que terão 5,5 mil policias a disposição da segurança.

PELO BRASIL

Em Brasília, militantes da ONG Rio de paz fixaram 594 bolas de futebol pintadas com cruzes vermelhas sobre o gramado da Esplanada dos Ministérios na manhã desta quarta-feira (26). Elas representam o número de parlamentares e o luto pela atuação do Congresso Nacional.

Ontem, Niterói, cidade do Rio de Janeiro, reuniu cerca de 1.500 pessoas e aconteceu de forma pacífica, entretanto, o Batalhão de Choque da PM disparou tiros de bala de borracha e disparou bombas de gases licrimogênios contra a um pequeno grupo que queria interditar a Ponte Rio-Niterói. A via ficou por alguns minutos interditada, mas logo em seguida foi liberada.

No Paraná, seis hospitais da rede estadual tiveram seus trabalhos, na terça-feira, paralisados em apoio as manifestações, tiveram suas atividades retomadas na noite do mesmo dia. A suspensão ocorreu devido os protestos dos servidores das unidades.

As manifestações também marcaram em várias cidades de São Paulo, Rio Grande do Sul, Brasília e Rio de Janeiro.

Add Comment