Protesto contra Sérgio Cabral interdita Avenida 23 de maio; atos de vandalismo são registrados

Cerca de 300 pessoas protestavam na noite desta sexta-feira (26), em São Paulo, contra o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB). Os manifestantes estavam em apoio aos que sofreram repressão da Polícia Militar durante os protestos no Rio. O ato começou pacífico, por volta das 17h, na avenida Paulista, mas no percurso do grupo houve registro de depredações

Philippe Azevedo

Agora a pouco, manifestantes interditaram a Avenida 23 de maio, no sentido Santana, na altura do viaduto  Paraíso. O metrô chegou a ser fechado e um ônibus foi pichado. No local, não foram encontrados agentes da Companhia de Engenharia de Trânsito e nem policiais militares para tentarem evitar cenas de vandalismo. Na avenida Paulista, onde o protesto teve início,  nove agências bancárias foram depredadas, segundo a Polícia Militar.

O protesto é feito em solidariedade às mobilizações que pedem a saída do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, deflagradas essa semana na capital carioca. Os manifestantes estavam reunidos desde o final da tarde desta sexta-feira (26) no vão do Masp (Museu de Arte de São Paulo), portandos faixas e cartazes onde se pode ler “Vaza Cabral”

Segundo informações da Polícia Militar, cerca de 300 pessoas participam damobilização. O protesto agrava ainda mais a situação do trânsito na cidade, que nesta sexta-feira (26), contabilizou 300 quilômetros de filas. É o maior congestionamento da história, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

Em Copacabana, no Rio de Janeiro, cerca de 200 pessoas protestaram contra o governo de Sérgio Cabral e gastos com a Jornada Mundial da Juventude. Durante o movimento, houve um pequeno debate entre manifestantes e peregrinos sobre a JMJ.

Acaba de chegar informação que policiais usam bomba de efeito moral para tentar conter manifestantes mais exautados. Uma cabine da Polícia também foi apedrejada.  A Força Tática da PM foi acionada somente às 20h. Viaturas do Corpo de Bombeiros também foram enviadas para controlar focos de incêndio. Uma van da TV Record foi incendiada durante o protesto.

Add Comment