Ritmo da inflação cai em SP enquanto o setor industrial fica estável

Da Redação com Agência Brasil

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), na cidade de São Paulo, ficou em 0,21%, na segunda prévia de maio. A taxa é 0,10 ponto percentual menor do que a da apuração passada (0,31%).

As principais elevações ocorreram nos grupos saúde (de 1,58% para 1,71%) e vestuário (de 0,30% para 0,62%).

No grupo habitação, o índice permaneceu em 0,14%. Já no grupo alimentação, os preços caíram 0,14%. Em transporte, a taxa ficou em 0,24% ante 0,30%. Também houve decréscimos em despesas pessoais (de 0,33% para 0,29%) e em educação (0,31% para 0,21%).

INDÚSTRIA

Após dois meses de queda, a confiança do empresário ficou estável em maio, aponta o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O indicador, divulgado hoje (17) ficou em 55,5 pontos, ante 55,4 em abril.

O Icei varia de 0 a 100 pontos. Valores acima de 50 representam otimismo no setor. Apesar da estabilidade em relação ao mês anterior, quando comparado ao mesmo período do ano passado, o índice apresentou queda de 2,4 pontos.

Em nota, o economista da CNI Marcelo de Ávila avalia que não houve melhora significativa no ambiente de negócios. “Para que haja aumento da confiança, é preciso que haja mudanças de maior impacto na redução dos custos de produção”, disse o especialista.

O estudo destaca que, desde dezembro, o otimismo dos empresários da construção está em queda. Em maio, caiu 0,4 ponto ante abril e registrou 55,4 pontos. Em contrapartida, as indústrias extrativas e de transformação tiveram alta na confiança. Enquanto o índice da primeira cresceu 0,3 ponto, atingindo 56,4 pontos, o da segunda aumentou 0,7 ponto e registrou 54,9 pontos, em maio.

O levantamento foi feito entre 2 e 14 de maio com 2.344 mil empresas, de pequeno, médio e grande porte.

Add Comment