Sucessos de bilheteria, “Homem de Ferro 3” e “Somos Tão Jovens” dividem opiniões dos espectadores

Por Yan Pedro

Apesar da evolução recente do cinema brasileiro, os grandes sucessos norte-americanos ainda dominam as bilheterias tupiniquins. A prova está na diferença de cinco milhões de espectadores a mais para a terceira parte do sucesso “Homem de Ferro”. Já o longa “Somos Tão Jovens”, dirigido por Antônio Carlos Fontoura e protagonizado pelos atores Thiago Mendoça e Laila Zaid, conta a trajetória da banda Legião Urbana, desde antes da sua criação. “Homem de Ferro 3”, que narra as aventuras de Tony Stark contra o vilão Mandarim, lidera com folga o posto de filme mais assistido.

“Homem de Ferro 3” traz referências a outro recente grande sucesso, “Os Vingadores”. O empresário Tony Stark (Robert Downey Jr.) agora luta contra os traumas vividos no filme que reuniu grandes herois da Marvel. A produção ainda coloca outro elemento na trilogia, Mandarim (Ben Kingsley) será o vilão que tentará destruir o poderoso Stark.

As opiniões sobre o filme variam. O aluno do curso de Jornalismo, Nattã Gonçalves, 22 anos, aprovou a terceira aventura. “É legal, mas ainda prefiro Homem de Ferro 2. Nesse, a parte cômica foi priorizada, e, em alguns momentos, houve um certo exagero”, comentou. Entretanto, a recepcionista Jaqueline Salvalagia, 26 anos, gostou mais do último filme comparado aos outros. “Ótimo. Tem muita ação, comédia, efeitos especiais”, opinou.

“Somos Tão Jovens” descreve a trajetória do vocalista da banda Legião Urbana, Renato Russo (Thiago Mendonça), desde a chegada a Brasília, a fundação da banda precursora, Aborto Elétrico, e, posteriormente, Legião Urbana. Em 104 minutos, o filme tenta mostrar como um jovem no final da ditadura militar conseguiu criar músicas que ficaram marcadas na memória de milhares de pessoas, como, por exemplo, “Que país é este?”, “Música Urbana” e “Geração Coca-Cola”.

Lucas Aloísio, estudante, 18, apesar de ter gostado do filme, critica a composição do personagem principal, Renato Russo. “O filme mostrou ele de uma maneira homossexual, o que de fato ele foi, mas não em toda parte de sua vida.” Késia Cristine, 22 anos, diz que o filme descreveu bem a personalidade de Renato, mas faltou um pouco de “realidade” à produção.

“Homem de Ferro 3” á faturou R$ 9.151,560 (no Brasil), atraindo quase seis milhões de espectadores. “Somos Tão Jovens” (14 anos), em suas duas semanas, lucrou R$ 3.093,570 e trouxe 995.987 pessoas às salas de cinema. A produção brasileira  teve orçamento de R$ 6 milhões.

Add Comment